Livro completo "Chegou a Hora"

domingo, 13 de dezembro de 2009

Jesus poderia antecipar o dia de sua volta



Já deu para perceber que sou um pouco curioso. Especialmente com as profecias da Bíblia Sagrada. Por isso, apesar de ter certeza de que tudo que escrevi neste Blog faz sentido e revisei muitas e muitas vezes, ainda achava que poderia ter passado algum detalhe. Por isso passou por minha mente:
Jesus poderia antecipar a sua volta?

Mateus 24 apresenta o grande sermão profético de Jesus. No verso 29, Jesus disse: “Logo em seguida à tribulação daqueles dias (O período de perseguição de 1260 anos pela Ponta Pequena de Daniel 7, que durou de 538 a 1798.), o sol escurecerá...” Este sinal realmente ocorreu, mas no dia 19 de maio de 1780.

Porque será que Jesus antecipou o final da tribulação daqueles dias?


“Na palestra do Salvador com Seus discípulos, no monte das Oliveiras, depois de descrever o longo período de provação da igreja – os 1260 anos da perseguição papal, relativamente aos quais prometera Ele ser abreviada a tribulação – mencionou Jesus certos acontecimentos que precederiam Sua vinda, e fixou o tempo em que o primeiro destes deveria ser testemunhado: “Naqueles dias, depois daquela aflição, o Sol escurecerá, e a Lua não dará a sua luz.” S. Marcos 13:24. OS 1.260 DIAS, OU ANOS, TERMINARAM EM 1798. UM QUARTO DE SÉCULO ANTES, A PERSEGUIÇÃO TINHA CESSADO QUASE INTEIRAMENTE. Em seguida a esta perseguição, segundo as palavras de Cristo, o Sol deveria escurecer-se. A 19 de maio de 1780 cumpriu-se esta profecia.” - O Grande Conflito, pág. 305.

Se Jesus antecipou em dezoito anos esse sinal e fez cessar a perseguição vinte e cinco anos antes, será que ele também não poderia fazer o mesmo agora com o tempo de seu retorno à terra?
Em Mateus 24 os discípulos perguntaram a Jesus:
“Díze-nos, quando sucederão estas coisas e que sinal haverá da tua vinda e da consumação do século.” (Mateus 24:3)

“Aos olhos dos quatro discípulos, era como se a destruição do templo e o fim do mundo por ocasião da vinda de Cristo fossem um só acontecimento. Eles supunham que tão-somente o fim do mundo poderia ocasionar a destruição daquele edifício, que era a sede principal da adoração ao Deus verdadeiro. Os comentarístas bíblicos, de forma geral, concordam que Jesus mesclou, em Sua resposta, informações relativas ao fim do templo e ao fim do mundo. Sem dúvida, até certo ponto, ocorreu tal mistura de informações.” Uma Nova Era Segundo as Profecias do Apocalipse, 18.

“Quando, pois, virdes o abominável da desolação de que falou o profeta Daniel, no lugar santo (quem lê entenda), então, os que estiverem na Judéia fujam para os montes; quem estiver sobre o eirado não desça a tirar de casa alguma coisa; e quem estiver no campo não volte atrás para buscar a sua capa. Ai das que estiverem grávidas e das que amamentarem naqueles dias!
Orai para que a vossa fuga não se dê no inverno, nem no sábado; porque nesse tempo haverá grande tribulação, como desde o princípio do mundo até agora não tem havido e nem haverá jamais.
Não tivessem aqueles dias sido abreviados, ninguém seria salvo; mas, por causa dos escolhidos, tais dias serão abreviados.
Então, se alguém vos disser: Eis aqui o Cristo! Ou: Ei-lo ali! Não acrediteis; porque surgirão falsos cristos e falsos profetas operando grandes sinais e prodígios para enganar, se possível, os próprios eleitos. Vede que vo-lo tenho predito.
Portanto, se vos disserem: Eis que ele está no deserto!, não saiais. Ou: Ei-lo no interior da casa!, não acrediteis.
Porque, assim como o relâmpago sai do oriente e se mostra até no ocidente, assim há de ser a vinda do Filho do Homem.” (Mateus 24:15 a 27)

“Em sua resposta, Jesus fez referência ao “abominável da desolação de que falou o profeta Daniel” (S. Mateus 24:15). Outra expressão equivalente é “abominação desoladora”, que é utilizada em Daniel pela Versão almeida Revista e Atualizada. Quando observamos quão precisamente se cumpriram as profecias de Cristo com respeito à queda de Jerusalém, ocorrida no ano 70 d.C., nossa confiança no cumprimento das profecias referentes aos dias atuais também é fortalecida. Tal fato é muito importante, pois a abominação desoladora tem uma aplicação aos nossos dias, assim como teve na queda de Jerusalém.” Uma Nova Era Segundo as Profecias do Apocalipse, 24.

“NÃO TIVESSEM AQUELES DIAS SIDO ABREVIADOS, ninguém seria salvo; mas, por causa dos escolhidos, tais dias serão abreviados.” (Mateus 24:22)
Não poderia este texto também ser aplicado aos nossos dias? Ou seja, por amor aos escolhidos não poderia Ele abreviar o tempo de sua vinda?
Creio que sim. E este é apenas um dos motivos pelo qual não podemos fixar uma data exata para a Volta de Jesus.

“Essas lições são para nosso benefício. Necessitamos firmar nossa fé em Deus, pois justamente diante de nós está um tempo de prova para toda pessoa. Cristo, sobre o Monte das Oliveiras, anunciou os terríveis juízos que precederiam Sua segunda vinda. Embora essas profecias tivessem um cumprimento parcial por ocasião da destruição de Jerusalém, TERÃO UMA APLICAÇÃO MAIS DIRETA NOS ÚLTIMOS DIAS.” - Manuscrito 100, 1893 – Cristo Triunfante, pág. 315.

Outro motivo é o fato de que cada um será julgado individualmente. E se é assim, o seu julgamento será em momento diferente do meu. E a sua sentença pode ser diferente da minha.
O julgamento não é por atacado.
“Assim, pois, cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus.” (Romanos 14:12)
“Porque importa que todos nós compareçamos perante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o bem ou o mal que tiver feito por meio do corpo.” (II Coríntios 5:10)

“Nas Escrituras se apresentam verdades que se relacionam especialmente com nosso próprio tempo. As profecias das Escrituras apontam ao período justamente anterior à aparição do Filho do Homem, e aqui suas advertências e ameaças se aplicam preeminentemente. OS PERÍODOS PROFÉTICOS DE DANIEL, EXTENDENDO-SE ATÉ MESMO À VÉSPERA DA GRANDE CONSUMAÇÃO, ARROJAM UM DILÚVIO DE LUZ SOBRE OS EVENTOS QUE ENTÃO ACONTECERÃO. O livro do Apocalipse está também cheio de advertências e instruções para a última geração. O amado João, sob a inspiração do Espírito Santo, retrata as terríveis e estremecedoras cenas conectadas com o término da história da terra, e apresenta os deveres e perigos do povo de Deus. Ninguém necessita permanecer na ignorância, ninguém necessita estar sem preparação para a vinda do dia de Deus.” - Review and Herald, 25/09/1883.



Olhar, Vigiar, Orar

No capítulo 69 do livro O Desejado de Todas as Nações, a Sra. White dedica todo o espaço falando sobre os sinais da segunda vinda descritos por Cristo em Mateus 24. E ela menciona aí que o dia da volta de Cristo seria abreviado. Ela mostra que o discurso de Cristo “...foi dado, não para os discípulos somente, mas para os que haveriam de viver nas últimas cenas da história terrestre.” O Desejado de Todas as Nações, pág. 631. E muito embora eu vá considerar apenas alguns trechos deste capítulo, eu o aconselho a lê-lo todo. (Mesmo porque já citei partes desse texto anteriormente.)
Ela mostra como Jesus descreveu os sinais do fim de Jerusalém e também os sinais da Volta de Jesus.

“Depois de dar os sinais de Sua vinda, Cristo disse: "Quando virdes acontecer estas coisas, sabei que o reino de Deus está perto." Luc. 21:31. "Olhai, vigiai e orai." Mar. 13:33. Deus sempre tem dado aos homens advertência dos juízos por vir. Aqueles que tiveram fé na mensagem por Ele enviada para seu tempo, e agiram segundo sua fé, em obediência aos Seus mandamentos, escaparam aos juízos que caíram sobre os desobedientes e incrédulos. A Noé veio a palavra: "Entra tu e toda a tua casa na arca, porque te hei visto justo diante de Mim." Gên. 7:1. Noé obedeceu, e foi salvo. A Ló foi enviada a mensagem: "Levantai-vos, saí deste lugar, porque o Senhor há de destruir a cidade." Gên. 19:14. Ló colocou-se sob a guarda dos mensageiros celestes, e foi salvo. Assim os discípulos de Cristo tiveram aviso da destruição de Jerusalém. Os que estavam alerta quanto ao sinal da próxima ruína, e fugiram da cidade, escaparam à destruição. Assim AGORA ESTAMOS DANDO AVISO DA SEGUNDA VINDA DE CRISTO E DA DESTRUIÇÃO INPENDENTE SOBRE O MUNDO. OS QUE OUVIREM A ADVERTÊNCIA, SERÃO SALVOS.
COMO NÃO SABEMOS O TEMPO EXATO DE SUA VINDA, SOMOS ADVERTIDOS A VIGIAR. "Bem-aventurados aqueles servos, os quais, quando o Senhor vier, achar vigiando!" Luc. 12:37 e 42. Os que vigiam, à espera da vinda do Senhor, não aguardam em ociosa expectativa. A expectação da vinda do Senhor fará os homens temerem-nO, bem como aos Seus juízos contra a transgressão. Deve despertá-los para o grande pecado de Lhe rejeitar os oferecimentos de misericórdia. Os que aguardam o Senhor, purificam a alma pela obediência da verdade. Com a vigilante espera, combinam ativo serviço. Como sabem que o Senhor está às portas, seu zelo é avivado para cooperar com as forças divinas para salvação de almas. Estes são os sábios e fiéis servos que dão "o sustento a seu tempo" à casa do Senhor. Estão declarando a verdade especialmente aplicável a este tempo. Como Enoque, Noé, Abraão e Moisés, cada um declarou a verdade para seu tempo, assim hão de os servos de Cristo agora dar a especial advertência para sua geração.
Mas Cristo apresenta outra classe: "Porém, se aquele mau servo disser consigo: O meu Senhor tarde virá; e começar a espancar os seus conservos, e a comer e a beber com os ébrios, virá o Senhor daquele servo num dia em que O não espera." Mat. 24:48-50.
O mau servo diz em seu coração: "O meu Senhor tarde virá." Não diz que Cristo não virá. Não zomba da idéia de Sua segunda vinda. Mas, em seu coração e por suas ações e palavras declara que a vinda do Senhor demora. Afasta da mente dos outros a convicção de que o Senhor presto virá. Sua influência leva os homens a uma presunçosa, negligente demora. São confirmados em sua mundanidade e torpor. Paixões terrestres, pensamentos corruptos tomam posse da mente. O mau servo come e bebe com os bêbados, une-se com o mundo na busca do prazer. Espanca seus conservos, acusando e condenando aqueles que são fiéis a seu Mestre. Mistura-se com o mundo. Sendo semelhantes, crescem ambos na transgressão. É uma assimilação terrível. É colhido no laço juntamente com o mundo. "Virá o senhor daquele servo... à hora em que ele não sabe, e separá-lo-á, e destinará a sua parte com os hipócritas." Mat. 24:50 e 51.” - O Desejado de Todas as Nações, pág. 234.


Fico espantado que alguns acham que Cristo voltará dentro de alguns séculos (eu já ouví pessoas dizerem isso). E mesmo dentro das fileiras adventistas se encontram pessoas que pensam assim. Muitos que não pensam assim agem como se assim pensassem. Vivem sem se preocupar com a volta de Jesus. Outros ainda criticam aqueles que estão buscando e vigiando.

"E, se não vigiares, virei sobre ti como um ladrão, e não saberás a que hora sobre ti virei." Apoc. 3:3. O advento de Cristo surpreenderá os falsos mestres. Eles estão dizendo: "Paz e segurança." Como os sacerdotes e mestres antes da queda de Jerusalém, assim esperam eles que a igreja goze de prosperidade e glória terrenas. Os sinais dos tempos, eles interpretam como prognóstico dessas coisas. Mas, que diz a Palavra inspirada? - "Então lhes sobrevirá repentina destruição." I Tess. 5:3. Como um laço virá o dia de Deus sobre toda a Terra, sobre todos os que fazem deste mundo sua pátria. Ele virá sobre eles como um ladrão.” - O Desejado de Todas as Nações, pág. 235.

Perceba que se você não vigiar, a volta de Jesus será como quando o ladrão ataca. Diz o texto que os que não estiverem vigiando não saberão a que hora Jesus virá.
O que você entende neste texto?
Entendo que aqueles que estiverem vigiando saberão a hora em que Cristo virá (E não estou dizendo apenas a época).
Até mesmo alguns mestres (professores, pastores, administradores...) são aqui chamados de falsos mestres. Esses são líderes que não crêem na iminente volta de Cristo e por isso não dão a urgência necessária em seus ensinos. Agindo assim eles passam a falsa impressão de que Cristo virá, mas daqui há muitos e muitos anos.
“O tempo voa, e com ele nós também voamos.” Quando houver a sacudidura, aquele que não estiver em pé cairá.

“O mundo, cheio de rixas, repleto de ímpios prazeres, acha-se adormecido, adormecido em segurança carnal. OS HOMENS ESTÃO DILATANDO A VINDA DO SENHOR. Riem das advertências. Ouve-se a soberba jactância: "Todas as coisas continuam como desde o princípio da criação." II Ped. 3:4. "O dia de amanhã será como este, e ainda maior e mais famoso." Isa. 56:12. Aprofundar-nos-emos no amor do prazer. Mas Cristo diz: "Eis que venho como ladrão." Apoc. 16:15. Ao mesmo tempo que o mundo está perguntando zombeteiramente: "Onde está a promessa da Sua vinda?" II Ped. 3:4. estão-se cumprindo os sinais. Enquanto eles gritam: "Paz e segurança", aproxima-se repentina destruição. Quando o escarnecedor, o rejeitador da verdade, se tem tornado presunçoso; quando a rotina do trabalho nos vários ramos de ganhar dinheiro é prosseguida sem consideração para com princípios; quando o estudante está ansiosamente buscando o conhecimento de tudo menos a Bíblia, Cristo vem como ladrão.
Tudo no mundo está em agitação. Os sinais dos tempos são cheios de sinais. Os acontecimentos por vir projetam sua sombra diante de si. O Espírito de Deus está sendo retirado da Terra, e calamidade segue-se a calamidade em terra e mar. Há tempestades, terremotos, incêndios, inundações, homicídios de toda espécie.” - O Desejado de Todas as Nações, pág. 236.

Veja as notícias na TV e confirme o cumprimento profético dessa citação. Nós só vemos calamidades nos jornais, pessoas matando e sendo mortas. Calamidades não faltam em todos os “cantos” do Globo. Hoje temos dezenas de tremores de terra todos os dias e muitos grandes terremotos ao longo do ano; incêndios grandes e pequenos, inundações trazendo destruição e morte mesmo nos países ditos desenvolvidos. E o que dizer dos homicídios constantes em todas as nossas cidades brasileiras, pra falar somente do Brasil.
Max Lucado, conhecido escritor, escreveu: “Nestas décadas ‘modernas’, nós inventamos a ameaça global e reinventamos o genocídio e a tortura. O século 20 viu mais massacres do que qualquer outro século na história – desde o massacre de 1 milhão e meio de armênios pelos otomanos na Primeira Guerra Mundial, ao massacre de 3 milhões de pessoas em Ruanda e no Sudão nos idos de 1990. Entre eles estão: o terror da fome na Ucrânia, o campo de concentração de Auschuwitz, o estupro de Nanking, o genocído dos trabalhadores asiátcios na ferrovia para Burma, o gulag da antiga União Soviétgica, a Revolução Cultural chinesa, os campos de extermínio do Camboja, os massacres na antiga Iugoslávia e em Bangladesh. Guerras e genocídios levaram mais de 200 milhões de almas em cem anos.” 3:16, pág. 51.
Ao ler este texto posso dizer que além de serem SINAIS DA PROXIMIDADE DA VOLTA DE JESUS SÃO TAMBÉM PROFECIAS QUE ESTÃO SE CUMPRINDO.


“Quem pode ler o futuro? Onde está a segurança? Não há certeza em coisa alguma humana ou terrena. Os homens se estão rapidamente enfileirando sob a bandeira de sua escolha. Aguardam desassossegadamente os movimentos de seus chefes. Há os que estão esperando, vigiando e trabalhando pela vinda de nosso Senhor. Outra classe cerra fileiras sob a chefia do primeiro e grande apóstata. Poucos crêem de alma e coração que temos um inferno a evitar e um Céu a alcançar.
A crise aproxima-se furtiva e gradualmente de nós. O Sol brilha no firmamento, fazendo seu ordinário percurso, e os céus declaram ainda a glória de Deus. Os homens ainda comem, bebem, plantam e edificam, casam e dão-se em casamento. Os comerciantes continuam a vender e comprar. Os homens se empurram uns aos outros, contendem pelas mais altas posições. Os amantes de prazer aglomeram-se ainda nos teatros, nas corridas de cavalo, nos antros de jogo. Dominam os maiores despertamentos, e todavia O TEMPO DE GRAÇA APROXIMA-SE RAPIDAMENTE DO FIM, e todo caso está para ser eternamente decidido. Satanás vê que seu tempo é curto. Tem posto em operação todas as suas forças a fim de os homens serem enganados, seduzidos, ocupados e enlaçados até que o dia da graça se haja findado, e a porta da misericórdia esteja para sempre fechada.” - O Desejado de Todas as Nações, pág. 634.

Embora saibamos que a volta de Cristo está próxima, ninguém sabe quando a porta da graça se fechará. Mas alguns já tem fechado a porta da graça para si, pois com sua atitude não estão mais ouvindo a voz do Espírito Santo. Jesus chamou esta atitude de “pecado contra o Espírito Santo” (Mateus 12:31). E o apóstolo Paulo faz uma importante advertência:
“Não apagueis o Espírito.” (I Tessalonicenses 5:19)
"Vigiai pois em todo o tempo, orando, para que sejais havidos por dignos de evitar todas estas coisas que hão de acontecer, e de estar em pé diante do Filho do homem." (Lucas 21:34 e 36)
Como já vimos não podemos precisar a data exata da volta de Jesus, e nem é necessário pois o mais importante é que o evento ocorrerá. Mas através das profecias podemos saber quais seriam as condições do mundo por ocasião da segunda vinda de Jesus. Percebemos através das profecias bíblicas o tempo em que estamos vivendo. Não há erro. As profecias e os sinais estão se cumprindo em nossos dias. Os sinais deixados pelo próprio Jesus em Mateus 24 ou pelos apóstolos estão se cumprindo de forma real. Hoje não são apenas sinais mas fatos reais.

“A história que o grande EU SOU assinalou em Sua Palavra, unindo-se cada elo aos demais da cadeia profética, desde a eternidade no passado até à eternidade no futuro, diz-nos onde nos achamos hoje, no prosseguimento dos séculos, e o que se poderá esperar no tempo vindouro. Tudo o que a profecia predisse como devendo acontecer; até à presente época, tem-se traçado nas páginas da História, e podemos estar certos de que tudo que ainda deve vir se cumprirá em sua ordem.” - Educação, pág. 178.

G. Edward Reid em seu livro “Sunday’s Coming!” (“O Domingo Está Chegando!”), logo na capa nos dá uma visão do que ele pensa sobre o tempo em que estamos vivendo: "Evidência clara que estes são realmente os últimos dias." Na introdução, na página 3 ele afirma: “A Palavra de Deus esboça claramente o curso da história da Terra, desde o tempo de Daniel até o fim do mundo e da segunda vinda de Cristo. Nosso amado Salvador tem revelado para nós o que acontecerá justamente antes que venha à Terra pela segunda vez. E eu acredito que nós estamos vendo estes eventos acontecendo agora.”
“Porque o Senhor cumprirá a sua palavra sobre a terra, cabalmente e em breve.” (Romanos 9:28)


“Devemos prestar contas da luz que brilha em nossos dias.”
Cristo Triunfante, pág. 317.

“Nunca é seguro permanecermos indiferentes à luz.”
Cristo Triunfante, pág. 318.