Livro completo "Chegou a Hora"

domingo, 10 de janeiro de 2010

A FERIDA É CURADA



A Cura de Uma Ferida
Assim como o livro de Daniel apresenta uma linha profética que se inicía nos dias de Daniel, no reino da Babilônia, o livro do Apocalipse apresenta uma linha que vai desde João até a destruição de Satanás após o milênio.
Nas visões dadas a Daniel em seu livro, ele já anteviu os reinos que dominariam a terra:






BABILÔNIA ( Dan. 2:38; 7:4)










MEDO-PÉRSIA (Dan. 2:32 e 39; 7:5)










GRÉCIA (Dan. 2:32 e 39; 7:6)











ROMA PAGÃ (Dan. 2:33 e 40; 7:7:23; Apoc 12:1 a 5)











REINOS DIVIDIDOS (Dan. 2:41 a 43; 7:24)











ROMA PAPAL (Dan. 7:24 e 25, Apoc. 13:1 a 10)




No livro de Apocalipse João também tem visões simbólicas com alguns animais (bestas). Mas nas profecias que já estudamos, as sete igrejas (Apoc. 2 e 3) e os sete selos (Apoc 6 e 8:1 a 5), notamos que Deus parece estar mais preocupado com sua igreja, que havia recebido Seu Filho nos dias de João. Há um recomeço. É o início do cristianismo. E as profecias tem como ponto de partida (na maioria delas) a igreja fundada por Cristo e seus apóstolos.
Devo dizer que o Apocalipse não é um livro fechado, mas como o próprio nome diz é um livro revelado.

“No APOCALIPSE todos os livros da Bíblia se encontram e se cumprem. Ali está o complemento do livro de Daniel. UM É UMA PROFECIA; O OUTRO É UMA REVELAÇÃO. O livro que foi selado não é o APOCALIPSE, mas a porção da profecia de DANIEL relativa aos últimos dias.” - Atos dos Apóstolos, pág. 585.

“...o Apocalipse é o suplemento de Daniel.” - Mensagens Escolhidas, vol. 2, pág. 114.

“O livro de DANIEL é descerrado na revelação a João, e nos transporta para as ÚLTIMAS CENAS DA HISTÓRIA DA TERRA. Terão nossos irmãos em mente que estamos vivendo em meio aos perigos dos últimos dias? LEDE APOCALIPSE EM CONEXÃO COM DANIEL.” - Testemunhos Para Ministros e Obreiros Evangélicos, pág. 115.

Tendo em vista estes conselhos, vamos dar uma rápida olhada em Apocalipse 12 e 13. Perceberemos por meio destas profecias que estamos vivendo nos últimos dias da história deste planeta de pecado.
Vamos analizar o que o Apocalipse fala dessa fase de Roma Papal e o próximo poder que afetaria o povo de Deus.
Apocalipse 12 descreve a guerra que houve no céu entre Deus e Seus anjos e Satanás e seus anjos maus. Aqui Satanás é descrito como um dragão que lidera 1/3 dos anjos do céu. A igreja pura de Deus é descrita como uma mulher.
Nesta guerra descrita em Apocalipse 12:7 a 9 , Satanás é expulso do céu e é atirado para a Terra.

“Houve peleja no céu. Miguel e os seus anjos pelejaram contra o dragão. Também pelejaram o dragão e seus anjos; todavia, não prevaleceram; nem mais se achou no céu o lugar deles. E foi expulso o grande dragão, a antiga serpente, que se chama diabo e Satanás, o sedutor de todo o mundo, sim, foi atirado para a terra, e, com ele, os seus anjos.” Apocalipse 12:7 a 9
Assim que Satanás foi atirado para a terra começou a perseguir os que fazem parte do povo de Deus.
“Quando, pois, o dragão se viu atirado para a terra perseguiu a mulher que dera à luz o filho varão.” Apocalipse 12:13
Satanás começou a perseguir a igreja do Filho de Deus - Jesus Cristo. Para efetuar essa perseguição ele tem usado os poderes da Terra.
“Por exemplo, ele usou Babilônia para levar Judá para o cativeiro e destruiu Jerusalém. Satanás usou a Pérsia, nos dias da rainha Ester, na tentativa de aniquilar Israel. Ele usou a Grécia, nos dias de Antíoco Epifânio, para tentar destruir a religião judáica e matou ou vendeu como escravaos cerca de 80.000 habitantes de Jerusalém. Satanás usou, mais tarde, Roma, na tentativa de matar a Jesus ainda menino e posteriormente ordenou sua execução 31 anos depois. Quatro décadas mais tarde Roma foi usada como o veículo de destruição de Jerusalém e do Templo, e o martírio e a perseguição da recém iniciada igreja Cristã. Durante a Idade Média Satanás usou a igreja estatal, o Papado, para impedir a disseminação do evangelho, da fé e do estudo das Escrituras, e perseguiu aqueles que mantinham as verdades bíblicas em oposição a tradição eclesiástica.” The Lamb Among The Beasts, pág. 195.
Note que Satanás usou até a própria igreja, que se afastou da verdade, para perseguir os fieis seguidores de Cristo. Mas isto também já estava profetizado tanto por Daniel, como por Paulo e claro por João.
“E foram dadas à mulher as duas asas da grande águia, para que voasse até ao deserto, ao seu lugar, aí onde é sustentada durante um tempo, tempos e metade de um tempo, fora da vista da serpente.” Apocalipse 12:14

“No sexto século tornou-se o papado firmemente estabelecido. Fixou-se a sede de seu poderio na cidade imperial e declarou-se ser o bispo de Roma a cabeça de toda a igreja. O paganismo cedera lugar ao papado. O dragão dera à besta "o seu poder, e o seu trono e grande poderio”. Apoc. 13:2. E começaram então os 1260 anos de opressão papal preditos nas profecias de Daniel (Dan. 7:25) e João (Apoc 13:5-7). Os cristãos foram obrigados a optar entre renunciar a sua integridade e aceitar as cerimônias e culto papais, ou passar a vida nas masmorras, sofrer a morte pelo instrumento de tortura, pela fogueira, ou pela machadinha do verdugo. Cumpriram-se as palavras de Jesus: "E até pelos pais, e irmãos, e parentes, e amigos sereis entregues; e matarão alguns de vós. E de todos sereis odiados por causa do Meu nome." Luc. 21:16 e 17. Desencadeou-se a perseguição sobre os fiéis com maior fúria do que nunca, e o mundo se tornou um vasto campo de batalha. Durante séculos, a igreja de Cristo encontrou refúgio no isolamento e obscuridade. Assim diz o profeta: "A mulher fugiu para o deserto, onde já tinha lugar preparado por Deus para que ali fosse alimentada durante mil duzentos e sessenta dias." Apoc. 12:6.” - História da Redenção, pág. 330.

A frase tempo, tempos e metade de um tempo, na realidade quer dizer ano, anos e metade de um ano. Fica fácil deduzir que aqui João fala do período de 1260 anos de perseguição ao fiel povo de Deus que também é descrito em Daniel 7:25.

“O apóstolo Paulo advertiu a igreja a não esperar a vinda de Cristo em seu tempo. "Porque não será assim", diz ele, "sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado." II Tess. 2:3. Não poderemos esperar pelo advento de nosso Senhor senão depois da grande apostasia e do longo período do domínio do "homem do pecado". Este "homem do pecado", que também é denominado "mistério da injustiça", "filho da perdição", e "o iníquo", representa o papado, que, conforme foi anunciado pelos profetas, deveria manter sua supremacia durante 1.260 anos. Este período terminou em 1798.” - O Grande Conflito, pág. 356.


Apocalipse 13 fala deste poder simbolizado por uma besta que sobe do mar. Um poder que surge de um lugar aonde existe muita gente, já que mar é símbolo para lugar habitado (Apocalipse 17:15). Este poder tem um pouco de cada um dos reinos anteriores: leopardo, urso, leão (os animais de Daniel 7).

Em 1798 essa besta é ferida:
“Então, vi uma de suas cabeças como golpeada de morte, mas essa ferida mortal foi curada; e toda a terra se maravilhou seguindo a besta.” Apocalipse 13:3
João diz que essa ferida não seria para a morte, mas que esse poder se recuperaria.

“No capítulo 13:1-10, descreve-se a besta "semelhante ao leopardo", à qual o dragão deu "o seu poder, o seu trono, e grande poderio". Este símbolo, como a maioria dos protestantes tem crido, representa o papado, que se sucedeu no poder, trono e poderio uma vez mantidos pelo antigo Império Romano. Declara-se quanto à besta semelhante ao leopardo: "Foi-lhe dada uma boca para proferir grandes coisas e blasfêmias. ... E abriu a sua boca em blasfêmias contra Deus, para blasfemar do Seu nome, e do Seu tabernáculo, e dos que habitam no Céu. E foi-lhe permitido fazer guerra aos santos, e vencê-los; e deu-se-lhe poder sobre toda a tribo, e língua, e nação." Esta profecia, que é quase idêntica à descrição da ponta pequena de Daniel 7, refere-se inquestionavelmente ao papado.
"Deu-se-lhe poder para continuar por quarenta e dois meses." E, diz o profeta, "vi uma de suas cabeças como ferida de morte". E, mais, "se alguém leva em cativeiro, em cativeiro irá; se alguém matar à espada, necessário é que à espada seja morto". Os quarenta e dois meses são o mesmo que "tempo, tempos, e metade de um tempo", três anos e meio, ou 1.260 dias, de Daniel 7, tempo durante o qual o poder papal deveria oprimir o povo de Deus. Este período, conforme se declara nos capítulos precedentes, começou com a supremacia do papado, no ano 538 de nossa era, e terminou em 1798. Nesta ocasião o papa foi aprisionado pelo exército francês, e o poder papal recebeu a chaga mortal, cumprindo-se a predição: "Se alguém leva em cativeiro, em cativeiro irá.” - O Grande Conflito, pág. 439

Vocês se lembram que ao estudarmos a profecia de Daniel 7, falamos de um poder que mudaria os tempos e a lei e perseguiria o povo de Deus por 1.260 anos? Vimos que este poder religioso era sem dúvida a Igreja Católica Apostólica Romana, e como esta profecia de tempo se cumpriu à risca. Esse poder religioso dominou o mundo cristão de 538 até 1798 d.C., quando as tropas de Napoleão puzeram fim ao seu domínio ao prenderem o Papa Pio VI (1775-1799) que morreu pouco depois na prisão.
O livro do Apocalipse, no entanto, afirmava que essa ferida não seria uma ferida de morte, mas seria curada.

“A influência de Roma nos países que uma vez já lhe reconheceram o domínio, está ainda longe de ser destruída. E a profecia prevê uma restauração de seu poder. "Vi uma de suas cabeças como ferida de morte, e a sua chaga mortal foi curada; e toda a Terra se maravilhou após a besta." Apoc. 13:3. A aplicação da chaga mortal indica a queda do papado em 1798. Depois disto, diz o profeta: "A sua chaga mortal foi curada; e toda a Terra se maravilhou após a besta." Paulo declara expressamente que o homem do pecado perdurará até ao segundo advento. (II Tess. 2:8.) Até mesmo ao final do tempo prosseguirá com a sua obra de engano. E diz o escritor do Apocalipse, referindo-se também ao papado: "Adoraram-na todos os que habitam sobre a Terra, esses cujos nomes não estão escritos no livro da vida." Apoc. 13:8. Tanto no Velho como no Novo Mundo o papado receberá homenagem pela honra prestada à instituição do domingo, que repousa unicamente na autoridade da Igreja de Roma.” - O Grande Conflito, pág. 579

Você verá na tabela a seguir como isso tem se cumprido até a completa cura dessa ferida. Mas antes de olharmos a tabela, o livro do Apocalipse, no capítulo 13, menciona outra besta. Esse outro poder sobe da terra:


“Vi ainda outra besta emergir da terra; possuía dois chifres, parecendo cordeiro, mas falava como dragão.
Exerce toda a autoridade da primeira besta na sua presença. Faz com que a terra e os seus habitantes adorem a primeira besta, cuja ferida mortal fora curada. Também opera grandes sinais, de maneira que até fogo do céu faz descer à terra, diante dos homens.
Seduz os que habitam sobre a terra por causa dos sinais que lhe foi dado executar diante da besta, dizendo aos que habitam sobre a terra que façam uma imagem à besta, àquela que, ferida à espada, sobreviveu; e lhe foi dado comunicar fôlego à imagem da besta, para que não só a imagem falasse, como ainda fizesse morrer quantos não adorassem a imagem da besta.” (Apocalipse 13: 11 a 15)

Que poder está dominando o mundo em nossos dias, no tempo do fim?
“As tentativas feitas na idade-média para entender a besta-cordeiro com chifres falharam. O povo não pode entender esta profecia antes que ela se cumprisse. Entende-se melhor a profecia depois que ela se cumpre. É por isso que Jesus afirmou: ‘Disse-vos agora, antes que aconteça, para que, quando acontecer, vós creiais’ (João 14:29).” Apocalipse Verso Por Verso, pág. 114.
Vamos relembrar algumas coisas para afirmarmos quem realmente é essa besta, esse poder que surge nos últimos dias:
Em Apocalipse 12 aparece um grande dragão vermelho que foi o grande império romano ou Roma pagã (usada por seu comandante principal, o próprio Satanás).
Em Apocalipse 13 aparece uma besta que sobe do mar e é semelhante a um leopardo. Essa besta é ferida, mas não morreu. Esse poder foi e é Roma Papal.
Mas, e agora? Quem seria esse poder ou essa besta que sobe da terra?
Em 1851, J. N. Andrews, um pioneiro adventista, identificou esse poder como a América protestante, ou seja, os Estados Unidos da América do Norte. Mas como poderia isso ser uma realidade, pois, afinal de contas, nessa época o exército dos EUA tinha apenas vinte mil homens? Alguns anos depois em 1867, Touro Sentando, um índio, venceu o exército do General Custer.
“Em 1933, quando Hitler tornou-se o Führer, os Estados Unidos tinham o décimo sexto maior exército do mundo – menor que o da Espanha, da Turquia e mesmo da Polônia.” O Dia do Dragão, pág. 31.
Realmente parecia impossível, mas Deus não advinha, Ele sabe.

“A profecia do capítulo 13 do Apocalipse declara que o poder representado pela besta de chifres semelhantes aos do cordeiro fará com que a "Terra e os que nela habitam" adorem o papado, ali simbolizado pela besta "semelhante ao leopardo". A besta de dois chifres dirá também "aos que habitam na Terra que façam uma imagem à besta; e, ainda mais, mandará a todos, "pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos", que recebam o "sinal da besta". Apoc. 13:11-16. ... OS ESTADOS UNIDOS SÃO O PODER REPRESENTADO PELA BESTA DE CHIFRES SEMELHANTES AOS DO CORDEIRO, e que esta profecia se cumprirá quando aquela nação impuser a observância do domingo, que Roma alega ser um reconhecimento especial de sua supremacia. Mas nesta homenagem ao papado os Estados Unidos não estarão sós. A influência de Roma nos países que uma vez já lhe reconheceram o domínio, está ainda longe de ser destruída. E a profecia prevê uma restauração de seu poder. "Vi uma de suas cabeças como ferida de morte, e a sua chaga mortal foi curada; e toda a Terra se maravilhou após a besta." Apoc. 13:3. A aplicação da chaga mortal indica a queda do papado em 1798. Depois disto, diz o profeta: "A sua chaga mortal foi curada; e toda a Terra se maravilhou após a besta." Paulo declara expressamente que o homem do pecado perdurará até ao segundo advento. (II Tess. 2:8.) ... Tanto no Velho como no Novo Mundo o papado receberá homenagem pela honra prestada à instituição do domingo, que repousa unicamente na autoridade da Igreja de Roma. ...” - Fé Pela Qual Eu Vivo, MM 1959, pág. 329.




Alguns pontos a considerar:

- Surgiria da terra. Se “mar”, de onde surgiu as outras bestas (Daniel 7 e Apocalipse 13) significa que elas sairam de onde era bastante povoado, esse poder surgiria de um lugar pouco povoado. “Um proeminente escritor descreveu o levantar dos Estados Unidos: “...o mistério de sua chegada do vazio... Como uma semente silenciosa nós crescemos e nos transformamos em um império.” (G.A. Townsend, The New World Compared With the Old, pág. 635.)
“Um jornal Europeu escreveu em 1850 a respeito dos Estados Unidos como um império que estava “emergindo... em meio ao silêncio da terra, diariamente aumentando o seu poder e sua força.”(citado em Daniel and revelation, pág. 578, Uriah Smith).” Revelation’s Predictions For a New Millennium, pág. 381.

- Possuia chifres como de um cordeiro. Esse poder agiria de maneira gentil. “Uma nação sem um déspota como rei e uma igreja sem um papa autoritário. O pano de fundo aqui é que a nova nação teria liberdade civil e religiosa.” Sunday’s Coming, pág. 221.

“Os ‘dois chifres como de um cordeiro’ bem representa o caráter de nosso governo, como expresso em seus dois princípios fundamentais, - Republicanismo e Protestantismo. Estes princípios são o segredo de nosso poder e prosperidade como nação. Aqueles que cedo encontraram asilo nas praias da América, regozijaram de que haviam alcançado um país livre da arrogância do papado e da tirania dos reis. Eles se determinaram a estabelecer um governo sob o pleno fundamento da liberdade civil e religiosa.” (Ellen White, The Signs of the Times, Feb. 8, 1910).” Citado em Sunday’s Coming, pág. 221.

- Falava como um dragão. Passaria a agir como Satanás. Destruindo, perseguindo, e punindo àqueles que não seguissem as leis que esse poder impusesse. E ao que tudo indica quanto mais se aproxima do fim, mais falará em nome do dragão.

“Os fundadores da Nação procuraram sabiamente prevenir o emprego do poder secular por parte da igreja, com seu inevitável resultado – intolerância e perseguição. A Magna Carta estipula que “o Congresso não fará lei quanto a oficializar alguma religião, ou proibir o seu livre exercício,” e que “nenhuma prova de natureza religiosa será jamais exigida como requisito para qualquer cargo de confiança pública nos Estados Unidos.” Somente em flagrante violação destas garantias à liberdade da nação poderá qualquer observância religiosa ser imposta pela autoridade civil. Mas a incoerência de tal procedimento não é maior do que o que se encontra representado no símbolo. É a besta de corno semelhantes aos do cordeiro – professando-se pura, suave e inofensiva – que fala como o dragão.” - O Grande Conflito, pág. 441

- Exerce o mesmo poder da primeira besta. Assim como o papado, na idade média, punha e depunha reis e governantes, esse poder faria o mesmo nessa época. Os reinos do mundo seguiriam o que ele impusesse.

“Quando os Estados Unidos, o país da liberdade religiosa, se aliar com o papado, a fim de dominar as consciências e obrigar os homens a reverenciar o falso sábado, os povos de todos os demais países do mundo hão de ser induzidos a imitar-lhe o exemplo. O nosso povo não tem sequer utilizado a metade do poder de que dispõe para estender a mensagem de advertência.” – Testemunhos Para a Igreja, Vol. 6, pág. 18.

- Opera grandes sinais... faz descer fogo do céu. Tem um poder fantástico a ponto de enviar fogo do céu.

- Surgiu depois da ferida da primeira besta. Surgiria depois ou próximo a 1798. “Os peregrinos chegaram ao “Novo Mundo”no início dos anos 1600s. Em 1776 as colonias se uniram ao ponto de apresentar a Declaração de Independência. Em 1787 a Constituição foi ratificada, e em 1789 a Carta Magna foi formulada. Em 1791 a Carta Magna foi adotada. ...O papa foi preso em 1798, e sem dúvida é significativo que no mesmo ano o governo Francês reconheceu os Estados Unidos como uma nação.” Sunday’s Coming!, pág. 217.

“Que nação no Novo Mundo se achava em 1798 ascendendo ao poder, apresentando indícios de força e grandeza, e atraindo a atenção do mundo? A aplicação não admite dúvidas. Uma nação, e apenas uma, satisfaz às especificações desta profecia; esta aponta insofismavelmente para os Estados Unidos da América do Norte.” - O Grande Conflito, pág. 439.



- Ajudaria a comunicar fôlego à primeira besta. Ajudaria na recuperação da primeira besta (a que tinha sido ferida). Ou seja ajudaria na cura da ferida e ainda faria com que as pessoas adorassem essa primeira besta sob pena de morrerem se assim não fizerem. “Muitas leis estaduais dominicais foram estabelecidas ao longo do século. Mas um ingrediente essencial estava faltando para se estabelecer uma lei dominical nacional. O ingrediente que faltava era a cooperação entre os Estados Unidos e o Papado. De fato, a história confirma que existia um forte sentimento anti-Católico nos Estados Unidos. Como as coisas mudaram atualmente! Durante o governo de Ronald Reagan nós (EUA) estabelecemos “total relações diplomáticas com o governo central da Igreja Católica Romana”, e adicionalmente, naquilo que ficou conhecido como “Santa Aliança”, nós cooperamos com o papado ao derrubar o comunismo.
Atualmente, líderes religiosos como Chuck Colson, Pat Robertson, Billy Graham, e outros estão encorajando o patrocínio de Roma. E líderes civís ...estão dando apôio político em direção à Roma.” Sunday’s Coming, pág. 223.
“Falando sobre o novo papel dos Estados Unidos como a única superpotência do mundo, o chefe da OLP, a Organização Para Libertação da Palestina, Yasser Arafat, chamou a capital americana Washington, de “a nova Roma”.
A nova Roma! Por quê? Porque Roma antiga havia sido um poder sem rival em sua época, e os Estados Unidos estão nesta posição agora.” O Dia do Dragão, pág. 25.
De fato, o capítulo três do livro O Dia do Dragão tem o título “A Nova Roma”.


A própria revista Veja de 11 de Dezembro de 2002, tráz na capa, George Bush, presidente dos Estados Unidos, vestido como César. O título da manchete é: “Lula Vai a César”. Em várias matérias da revista Veja, os EUA é comparado a um “Império” por seu poderio e influência.

Esta é uma profecia que está se cumprindo em nossos dias.
A ferida foi sendo, pouco a pouco, curada, e os EUA tiveram um papel preponderante para que ela se curasse completamente.
A profecia ainda previa que que toda a terra se maravilharia seguindo a besta. E hoje podemos dizer que esta é mais uma profecia que está se cumprindo diante de nossos olhos. Verifique na tabela a seguir, como essa ferida foi sendo curada com o passar dos anos.
Também procurei colocar como os EUA, a besta que subiu da terra, e a besta que subiu do mar estão cada vez mais trabalhando em conjunto (Apoc. 13).

sábado, 2 de janeiro de 2010

Sinal da Proximidade do Fim




Sinal da Proximidade do Fim
Existe um trecho do Espírito de Profecia que se encontra no livro Testemunhos Seletos – Vol. 2 que tem exatamente esse título. Preste bastante atenção no que está contido neste texto, pois ele é um sinal importantíssimo do fim dos tempos.

“Por um decreto que visará impor uma instituição papal em contraposição à lei de Deus, a nação americana se divorciará por completo dos princípios de justiça. Quando o protestantismo estender os braços através do abismo, a fim de dar uma das mãos ao poder romano e a outra ao espiritismo, quando por influência dessa tríplice aliança os Estados Unidos forem induzidos a repudiar todos os princípios de sua Constituição, que fizeram deles um governo protestante e republicano, e adotar medidas para a propagação dos erros e falsidades do papado, podemos saber que é chegado o tempo das operações maravilhosas de Satanás e que o fim está próximo.
Como a aproximação dos exércitos romanos foi um sinal para os discípulos da iminente destruição de Jerusalém, assim essa apostasia será para nós um sinal de que o limite da paciência de Deus está atingido, que as nações encheram a medida de sua iniqüidade, e o anjo da graça está pronto para partir desta Terra para não mais tornar.
O Senhor está fazendo Sua obra. Todo Céu está em atividade. O Juíz de toda a Terra Se levantará em breve para vindicar Sua autoridade insultada. O sinal do libertamento será posto naqueles que guardam os mandamentos de Deus, reverenciam Sua lei e se recusam a aceitar o sinal da besta ou da sua imagem.” - Testemunhos Seletos, vol. 2, pág. 151.

Pontos a considerar:
1. “Por um decreto que visará impor uma instituição papal em contraposição à lei de Deus...”
Os Estados Unidos da América emitirão um decreto que obrigará a todos guardarem o domingo (o falso sábado) e daí será passado para todo o mundo.
Hoje, nos Estados Unidos, as portas ainda estão abertas para se pregar o evangelho publicamente e em particular através de todos os meios disponíveis. Mas, nos bastidores, movimentos estão trabalhando para amenizar a crença na mensagem cristã. A maioria dos estados já tem leis dominicais, de um tipo ou de outro, em seus estatutos.
Nunca houve antes tanta pressão sobre o governo para impor leis religiosas. Os Fundamentalistas Protestantes uma vez insistiram na separação entre igreja e estado. Agora, organizações religiosas estão pedindo por regulamentos morais apoiados pelo governo. Em cumprimento à profecia vemos a América do Norte começar a ceder seu poder político para impor a religião ao povo.



“Com a decisão da Suprema Corte dos Estados Unidos em 1961, declarando que são constitucionais leis estaduais que obriguem o fechamento do comércio aos domingos, foi dado um grande passo para a “santificação do domingo”. Os protestantes por muitos anos têm procurado deliberadamente a imposição do domingo em legislação religiosa, e indiretamente, como legislação social. Ultimamente a voz dos católicos tem sido também ouvida, de modo que protestantes e católicos unam suas forças no sentido de prover um ambiente legal mais favorável para a observância do domingo. Esta decisão prepara caminho para mais estritas leis estaduais e finalmente uma lei nacional.” As Revelações do Apocalipse, 160 e 161.





2. “Quando o protestantismo estender os braços através do abismo, a fim de dar uma das mãos ao poder romano e a outra ao espiritismo...”
O protestantismo estende os braços e se liga ao poder romano e ao espiritismo.
O espiritualismo moderno nasceu no oeste de Nova York, na cidade de Rochester, em 1848, através das irmãs Fox. Foi através das médiuns americanas que o espiritismo se espalhou pelo mundo. Através do movimento da Nova Era, está penetrando no cristianismo, tanto protestante quanto católico.


E atualmente, através dos filmes (grande parte deles feitos nos EUA), dramas e novelas, o espiritismo chega aos lares por meio da televisão. Nunca o espiritismo foi tão divulgado como atualmente. Esse assunto está presente nos livros, revistas, filmes, programas, vídeo-games e disponível para todos gostos e faixa etária.



3. “...Estados Unidos forem induzidos a repudiar todos os princípios de sua Constituição, que fizeram deles um governo protestante e republicano...”
Repudiar os princípios de sua constituição.

“O movimento dominical está agora abrindo caminho nas trevas. Os líderes encobrem a verdadeira questão, e muitos que se unem ao movimento não percebem para onde propende a tendência oculta...”
“Os que se empenham em conseguir uma emenda à Constituição, para obter uma lei que imponha a observância do domingo, mal compreendem qual vai ser o resultado. Uma crise iminente.” - Eventos Finais, pág. 111.

A corrupção política está destruindo o amor à justiça e a consideração para com a verdade; e mesmo na livre América do Norte, governantes e legisladores, a fim de conseguir o favor do público, cederão ao pedido popular de uma lei que imponha a observância do domingo.” - Eventos Finais, pág. 113.

4. “...adotar medidas para a propagação dos erros e falsidades do papado...”
Adotar medidas para expalhar os erros e as falsidades do papado.
O Pr. Nelson Luchi em seu livro “Nova Era no Contexto Profético” diz na página 24:
“Em 1959, no seminário, me preparando para ser um padre, achava impossível a união da minha santa madre igreja com protestantes e espíritas. Hoje é notícia nos jornais. Apocalipse 16:13-14 predissera essa união há mais de 1900 anos.”
Quando tudo isso acontecer...
“...podemos saber que é chegado o tempo das operações maravilhosas de Satanás e que O FIM ESTÁ PRÓXIMO.”
“Quando nossa nação (EUA) abjurar os princípios de seu governo de tal forma que vote uma lei dominical, nesse próprio ato o protestantismo dará a mão ao papado.” – 2TS, 318.

“Os protestantes lançarão toda a sua influência e poder ao lado do papado. Por um ato nacional impondo o falso sábado, eles darão vida e vigor à corrompida fé de Roma, avivando sua tirania e opressão da consciência.” - Man. 179 (1893) - Eventos Finais, pág. 113.

Como podemos ver estamos muito próximo do fim. O mundo se prepara para o desfecho final. Quando for emitido o decreto dominical (um decreto para a guarda do domingo) nos Estados Unidos da América estaremos a um passo da volta de Jesus.
Sobre esse assunto já foram escritos diversos livros nos últimos anos. Alguns desses livros você poderá encontrar em português como “O Dia do Dragão”, “Do Sábado Para o Domingo”, “O Governo da Nova Era”, entre outros.
Mas eu gostaria de destacar alguns pontos encontrados no livro “Sunday’s Coming”, escrito por G. Edward Reid.
“O estabelecimento de relações diplomáticas entre os Estados Unidos e a Santa Sé, o crescimento do movimento ecumênico, a visita do papa (João Paulo II) aos EUA, e a Campanha Católica para a América (Catholic Campaign for America) mostra claramente que as predições de Ellen White e a interpretação tradicional Adventista de Apocalipse 13 e 17 estão se provando como uma interpretação muito correta.” Sunday’s Coming, pág. 82.



“No movimento ora em ação nos Estados Unidos a fim de conseguir para as instituições e usos da igreja o apoio do Estado, os protestantes estão a seguir as pegadas dos romanistas. Na verdade, mais que isto, estão abrindo a porta para o papado a fim de adquirir na América do Norte protestante a supremacia que perdeu no Velho Mundo. E o que dá maior significação a este movimento é o fato de que o principal objeto visado é a obrigatoriedade da observância do domingo, prática que se originou com Roma, e que ela alega como sinal de sua autoridade. É o espírito do papado - espírito de conformidade com os costumes mundanos, com a veneração das tradições humanas acima dos mandamentos de Deus - que está embebendo as igrejas protestantes e levando-as a fazer a mesma obra de exaltação do domingo, a qual antes delas fez o papado.” - O Grande Conflito, pág. 573


“Enquanto os homens estão dormindo, Satanás está ativo criando um cenário para que o povo de Deus não tenha misericórdia ou justiça. O movimento Dominical está agora saindo das trevas. Os líderes estão ocultando a verdade, e vários que se unem com o movimento não podem perceber aonde este tipo de pensamento pode levar. Sua maneira de agir é pacífica, e aparentemente cristã, mas quando falar, se revelará o espírito do Dragão (Ellen G. White, The Watchman, paragraph 11, 25 de Dezembro de 1906).” Citado em Sunday’s Coming, pág. 83.

“A profecia (Apocalipse 13) representa o Protestantismo como um cordeiro com dois chifres, mas que fala como um dragão. Já estamos ouvindo a voz do dragão. Existe uma força satânica impulsionando o movimento Dominical, mas oculta. Os homens que estão engajados no trabalho estão cegos ao que resultará com este movimento (Advent Review and Sabbath Herald, Jan. 1, 1889).” Citado em Sunday’s Coming, pág. 83.

Atualmente existem diversos líderes religiosos que apoiam a inclusão de leis dominicais. Reid cita Pat Robertson, fundador e presidente da “Coalização Cristã” e autor do livro intitulado “A Nova Ordem Mundial”:


“Os escravos das galés forçados a trabalhar sete dias na semana se tornam não melhores do que bestas de carga. Grandes civilizações surgem quando o povo pode descansar, pensar e receber inspiração de Deus. Que estupidez de nossa sociedade recusar reconhecer a sabedoria de Deus.
Desde que a exaltação e promessa de recompensa vem da adoração e descanso de um dia, eu decidi tornar meus domingos de acordo com o modêlo Bíblico.” Sunday’s Coming, pág. 86.
Pat Robertson fala de adoração sem se importar se o dia de adoração é ou não o dia indicado por Deus, e com isso adota um falso sábado, o domingo.
“Mas e aqueles que não adoram no domingo, como os Muçulmanos, Judeus e os Adventistas do Sétimo Dia? David M. Barney, da Trinity Episcopal Church em Concord, MA (EUA), deu sua resposta à seguinte pergunta: “Em vista destas duas considerações, os direitos das minorias e o mandamento da guarda do sábado, que base nós temos para adotar o domingo como uma lei?” Ele respondeu: “Na América, o domingo permanece como o dia comum de descanso para qualquer alternativa. Naturalmente ele é adotado pela maioria dos cristãos, mas outras comunidades religiosas ou não religiosas, têm que se adaptar, gostem ou não. Eu não posso imaginar uma lei que tenha dois ou mais dias de descanso. Desde que temos que escolher um dia de modo que toda comunidade desfrute juntos, não vejo outra alternativa senão o domingo.” Sundays’s Coming, pág. 87.
No artigo da Adventist Review (Revista Adventista na América) de 12 de Outubro de 1995, o Pr. Wellesley Muir se declarou chocado com uma descoberta:
“Enquanto estava me preparando para um Seminário do Apocalipse há algum tempo atrás, eu fui atrás do novo catecismo Católico e abri na seção que tratava com o Sábado. Eu fiquei chocado com o que encontrei. Sob o título “Cooperação com as Autoridades Civís com Respeito a Este Mandamento”, eu li o seguinte: “As autoridades civís deveriam ser impulsionadas a cooperar com a igreja na manutenção e fortalecimento da adoração pública de Deus, e manter com sua própria autoridade as leis que fossem fixadas pelos pastores.” No parágrafo seguinte dizia: “Porque só dessa maneira os fiéis entenderão porque é o domingo e não o dia de sábado que nós agora consideramos santo.”
Algo que chama a atenção é que este novo catecismo romano, lançado em 1994, tem o “imprimatur” do Vaticano. Mas isso seria algo comum se não estivesse no canto superior esquerdo da primeira página os seguintes dizeres “Imprimi Potest – Joseph Cardinal Ratzinger.” Nessa época não se poderia imaginar que ele se tornaria Bento XVI, o papa que sucedeu João Paulo II.


O livro O Domingo Está Chegando (Sunday’s Coming) tem um capítulo intitulado“Reabrindo o Escritório da Inquisição”. Neste capítulo o autor fala de um artigo da revista Time em sua edição do dia 6 de dezembro de 1993. O artigo intitulado “Keeper of the Straight and Narrow” (Guardião do Correto e Estreito) tinha como subtítulo “O responsável do Papa para fazer cumprir a doutrina e a moral (no Brasil seu título anterior foi apresentado como “Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé” - antigo Santo Ofício), Joseph Ratzinger, é o mais poderoso príncipe da igreja e um dos mais despresado.” O artigo da Time tinha três páginas cheias.
“O cardeal mais poderoso do mundo vive à distância de um tiro de pedra da Catedral de São Pedro, acima do terminal do ônibus 64, mal afamado por causa dos batedores de carteiras. Toda manhã ele caminha com passos fortes sobre os paralelepípedos para chegar às 9 da manhã ao ‘palazzo’ que uma vez recebeu o título de Inquisição Universal Romana. De fala mansa e cortês, Joseph Cardinal Ratzinger, 66, parece ser muito bom para ser um inquisidor. Mas sua Congregação para a Doutrina da Fé é a última encarnação da Inquisição Romana, e como chefe defensor dos dogmas da igreja Católica, o Cardeal permanece na sucessão direta dos perseguidores de Galileu e os compiladores do index dos livros banidos. O peso da história é sustentado pela atenção que Ratzinger recebe.” Sunday’s Coming, pág. 90.
Nesse catecismo tem uma parte que fala do quarto mandamento e o menciona como o Sábado era guardado pelo povo de Israel, mas subitamente muda afirmando que “o domingo é o cumprimento do sábado”. O catecismo continua afirmando que “o Sábado que representou a finalização da primeira criação, foi substituído pelo domingo que relembra a nova criação inaugurada pela ressurreição de Cristo.”
O parágrafo 2188 é o que mais revela a estratégia papal. Em respeito à liberdade religiosa e o bem comum de todos, os cristãos deveriam reconhecer os domingos e os dias santos da igreja como feriados legais”. Note as palavras chaves aqui. “Liberdade Religiosa” – para a mente Católica isto significa o direito de crer como um Católico. “O bem comum de todos” – estas palavras soam similar ao preâmbulo da constituição dos Estados Unidos. Mas soa muito mais com as palavras da Campanha Católica para a América: “É hora de nós demonstrarmos nossa vitalidade Católica e nos engajarmos em um debate público. Nós temos o poder e o povo para entrarmos neste movimento – um movimento que beneficiará todos Americanos.” Sunday’s Coming, pág. 91
Não era portanto de se assustar que logo ao assumir o mandato como novo papa, Ratzinger, ou melhor, Bento XVI, em sua primeira viagem para fora do Vaticano, a cidade de Bari, no sul da Itália, já defendesse a união dos cristãos. E para isso nada melhor do que enfatizar a guarda do domingo. O título do XXIV Congresso Eucarístico Nacional recebeu o título “Sem o Domingo Não Podemos Viver.”

“A fim de assegurar popularidade e sua aprovação, os legisladores se renderão aos reclamos de leis dominicais. Mas os que temem a Deus não podem aceitar uma instituição que viole um preceito do Decálogo. Neste campo se travará o último grande conflito na controvérsia entre a verdade e o erro. E nós não somos deixados em dúvida quanto ao desfecho.” - Profetas e Reis, pág. 606.

Hoje o EUA procura dominar o mundo com a finalidade de obter vantagens comerciais e por isso defendem a globalização. Existe um grupo que tenta impor um governo único no mundo que é conhecido como “Nova Ordem Mundial”. Mas Deus já havia predito tudo isso. E isto também é um sinal de que estamos vivendo nos últimos dias.


Hoje os EUA conquista poder político e militar sobre o planeta, mas em breve emitirá um decreto para impor a santificação do domingo, fazendo assim uma imagem à besta que subiu do mar.

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

O PREPARO E AS TRÊS MENSAGENS ANGÉLICAS


Mais importante do que saber a data em que Jesus Cristo voltará à Terra é estar vigilante e preparado.
No sermão profético de Jesus em Mateus 24, embora tenha indicado diversos sinais, ele fala muito sobre estarmos vigilantes e preparados.
A impressão que temos, como adventistas nos dias de hoje, é que está tudo bem. A igreja vai bem, somos um povo que conhece as profecias e estamos só esperando que Cristo volte. Enquanto isso vamos olhando os sinais se cumprindo e não percebemos que a coisa, na realidade, não vai nada bem.
O Espírito de Profecia apresenta algumas advertências para nós que vivemos nestes últimos dias:

“VI QUE O REMANESCENTE NÃO ESTAVA PREPARADO PARA O QUE ESTÁ PARA SOBREVIR À TERRA. Estupefação, como desinteresse, parece possuir a mente da maioria dos que professam crer que estamos vivendo a última mensagem.” - Primeiros Escritos, pág. 119.

“É uma solene declaração que faço à igreja, de que NEM UM ENTRE VINTE DOS NOMES QUE SE ACHAM REGISTRADOS NOS LIVROS DA IGREJA, ESTÁ PREPARADO PARA FINALIZAR SUA HISTÓRIA TERRESTRE, e achar-se-ia tão verdadeiramente sem Deus e sem esperança no mundo, como o pecador comum.” - SC, 40 e 41; Eventos Finais, pág. 149.

Isso é grave. Falta pouco tempo para a volta de Jesus e nós não estamos preparados. Parece que há uma letargia, uma mornidão, um desinteresse.
Claro que existem excessões, mas como seria bom se mais e mais pessoas estivessem preocupadas em se preparar e interessadas em falar a outras pessoas sobre a segunda vinda de Cristo.

“Meu anjo assistente clamou com impressionante solenidade: "APRONTAI-VOS! APRONTAI-VOS! APRONTAI-VOS POIS A ARDENTE IRA DO SENHOR ESTÁ PARA VIR! Sua ira está para ser derramada, sem mistura de misericórdia, e todavia não estais prontos. Rasgai o coração, e não os vestidos. Uma grande obra deve ser feita pelo remanescente. Muitos deles estão se demorando sobre pequenas provas."
Disse o anjo: "Legiões de anjos maus estão ao redor de vós, procurando introduzir suas terríveis trevas, a fim de serdes enlaçados e apanhados.” - Primeiros Escritos, pág. 119.

O anjo está dizendo para estarmos prontos. E esta preparação tem que ocorrer antes do fechamento da porta da graça, pois ela será fechada para cada pessoa em tempos diferentes, porque, como já dissemos, o julgamento não é por atacado, é individual. Para alguém pode fechar-se dois anos antes da volta de Jesus, mas para você pode fechar-se no mês que vem, ou mesmo amanhã.
Estamos vivendo no tempo do julgamento que se iniciou em 1844 e desde então cada caso está sendo julgado.

“No tempo indicado para o juízo – o final dos 2.300 dias, em 1844 – iniciou-se a obra de investigação e apagamento dos pecados. Todos os que já professaram o nome de Cristo serão submetidos àquele perscrutador escrutínio. Tanto os vivos como os mortos devem ser julgados “pelas coisas escritas nos livros, segundo suas obras.”...
Vivemos hoje no grande dia da expiação. ... A OBRA DE PREPARAÇÃO É UMA OBRA INDIVIDUAL. NÃO SOMOS SALVOS EM GRUPOS. A pureza e devoção de um, não suprirá a falta dessas qualidades em outro. ... Cada um deve ser provado, e achado sem mancha ou ruga, ou coisa semelhante.
Solenes são as cenas ligadas à obra final da expiação. Momentosos, os interesses nela envolvidos. O juízo ora se realiza no santuário celestial. Há muitos anos esta obra está em andamento. Breve, ninguém sabe quão breve, passará ela aos casos dos vivos. Na augusta presença de Deus nossa vida deve passar por exame. ...
Quando se encerrar a obra do juízo de investigação, o destino de todos terá sido decidido, ou para a vida, ou para a morte. O tempo da graça finaliza pouco antes do aparecimento do Senhor nas nuvens do céu.” - O Conflito dos Séculos, pág. 486 e 490 – Princípios de Vida, pág. 257.

Gosto de pensar na característica do povo remanescente de Deus (aqueles que estarão aguardando a Sua vinda nos últimos dias):
“Aqui está a perseverança dos santos, os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus.” Apocalipse 14:12
Se essa é a característica do povo de Deus nos últimos dias, devo buscar e obter essa característica em minha vida.

“Na época atual, a Igreja precisa vestir suas belas vestes – “Cristo, justiça nossa”. Há distinções claras e precisas a serem restauradas e expostas ao mundo, exaltando-se acima de tudo os mandamentos de Deus e a fé de Jesus.” - A Igreja Remanescente, pág. 13.

Pouco antes deste texto temos anjos proclamando mensagens para nós que vivemos nos últimos dias. E a Sra. White demonstra que é muito importante compreendermos estas mensagens. Elas já estão soando e continuarão soando até o fechamento da Porta da Graça.

“NESTES ÚLTIMOS DIAS É NOSSO DEVER DETERMINAR O PLENO SIGNIFICADO DAS MENSAGENS DO PRIMEIRO, DO SEGUNDO E DO TERCEIRO ANJO. Todas as nossas transações devem estar de acordo com a Palavra de Deus. As mensagens do primeiro, do segundo e do terceiro anjo estão todas unidas e são reveladas no décimo quarto capítulo do Apocalipse, desde o verso seis até o fim.” - Manuscript releases, vol. 13, pág. 68 – Eventos Finais, pág. 60.

“Estas mensagens foram-me apresentadas como uma âncora para o povo de Deus. Aqueles que as compreendem e recebem serão preservados de ser varridos pelos muitos enganos de Satanás.” - Primeiros Escritos, pág. 256 – Eventos Finais, pág. 60.

“A VERDADEIRA COMPREENSÃO DESSAS MENSAGENS É DE VITAL IMPORTÂNCIA. O DESTINO DAS ALMAS DEPENDE DA MANEIRA EM QUE ELAS SÃO RECEBIDAS.” - História da Redenção, pág. 385.

“Se examinarmos as Escrituras para confirmar a verdade que Deus deu aos Seus servos para o mundo, seremos encontrados proclamando a primeira, segunda e terceira mensagens angélicas. ... As mensagens de Apocalipse 14 são aquelas mediante as quais os mundo há de ser provado; são evangelho eterno e devem soar por toda parte.” - Manuscrito 32 – Cristo Triunfante, pág. 342.



Três Mensagens Angélicas
1o Anjo

“Vi outro anjo voando pelo meio do céu, tendo um evangelho eterno para pregar aos que se assentam sobre a terra, e a cada nação, e tribo, e língua, e povo, dizendo, em grande voz: Temei a Deus e dai-lhe glória, pois é chegada a hora do seu juízo; e adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas.” Apocalipse 14: 6 e 7


A mensagem do primeiro anjo de Apocalipse 14, anunciando a hora do juízo de Deus e apelando para os homens a fim de O temer e adorar, estava destinada a separar o povo professo de Deus da influências corruptoras do mundo, e despertá-lo a fim de ver o seu verdadeiro estado de mundanismo e apostasia.” - O Conflito dos Séculos, pág. 410 – Princípios de Vida, pág. 299.

A mensagem está destina para nós que vivemos nestes últimos dias e desejamos fazer parte do remanescente de Deus. Para isto devemos nos separar do mundanismo e da apostasia. E note que é uma mensagem para que nos despertemos e vejamos a nossa real situação: a situação da igreja de Laodicéia descrita em Apocalipse 3:15 a 17
Esta mensagem também fala da adoração a Deus:
“...e adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas.” Quase que completamos: “porque, em seis dias, fez o SENHOR os céus e a terra, o mar e tudo o que neles há e, ao sétimo dia, descansou; por isso, o SENHOR abençoou o dia de sábado e o santificou.” Êxodo 20:11

“Segue-se que a mensagem que ordena aos homens adorar a Deus e guardar Seus mandamentos, apelará especialmente para que observemos o quarto mandamento.” - O Conflito dos Séculos, pág. 662 – Princípios de Vida, pág. 299.

“Essa mensagem, se recebida, chamará a atenção de toda nação, tribo, língua e povo para um meticuloso exame da Palavra, e para a verdadeira luz a respeito do poder que mudou o sábado do sétimo dia para um sábado espúrio...
Na primeira mensagem angélica, o povo é chamado a adorar a Deus, nosso Criador, que fez o mundo e todas as coisas que nele existe.” - Cristo Triunfante, pág. 338.

“OS QUE QUEREM TER O SELO DE DEUS NA TESTA PRECISAM GUARDAR O SÁBADO DO QUARTO MANDAMENTO.” - Seventh-day Adventist Bible Commentary, vol. 7, pág. 980 – Eventos Finais, pág. 189.

“Tão verdadeiramente como foi colocado um sinal sobre as portas das habitações dos hebreus, para proteger contra a ruína geral, será colocado um sinal em cada um dos que pertencem ao povo de Deus. O Senhor declara: “Também lhes dei os Meus sábados, para servirem de sinal entre Mim e eles, para que soubessem que Eu sou o Senhor que os santifica.” Ezequiel 20:12.” - The Seventh-day Adventist Bible Commentary, vol. 7, pág. 969 – Eventos Finais, pág. 189.

“O SÁBADO SERÁ A PEDRA DE TOQUE DA LEALDADE, pois é o ponto da verdade especialmente controvertido. Quando sobrevier aos homens a prova final, traçar-se-á a linha divisória entre os que servem a Deus e os que não servem. Ao passo que a observância do sábado espúrio em conformidade com a lei do Estado, contrária ao quarto mandamento, será uma declaração de fidelidade ao poder que se acha em oposição a Deus, é a guarda do verdadeiro sábado, em obediência a lei divina, uma prova de lealdade para com o Criador. Ao passo que uma classe, aceitando o sinal de submissão aos poderes terrestres, recebe o sinal da besta, a outra, preferindo o sinal da obediência à autoridade divina, recebe o selo de Deus.” - O Grande Conflito, pág. 605.

Este é um momento solene que devemos tomar a decisão de realmente prestarmos uma real adoração ao Deus verdadeiro. O Sábado é e será um sinal (o Selo de Deus) de identificação do remanescente de Deus nos últimos dias.
Medite na resposta que você daria à pergunta abaixo:

“Pergunto aos que afirmam ser Adventistas do Sétimo Dia: Podeis reivindicar o selo do Deus vivo? Podeis afirmar que estais santificados pela verdade? Não temos, como um povo, dado à lei de Deus a preeminência que devíamos dar. Estemos em perigo de fazer a nossa própria vontade no dia de sábado.” - Carta 258, 1907 – Mensagens Escolhidas, vol. 3, pág. 258.



2o Anjo

“Seguiu-se outro anjo, o segundo, dizendo: Caiu, caiu a grande Babilônia que tem dado a beber a todas as nações do vinho da fúria da sua prostituição.” Apocalipse 14:8

A grande Babilônia, ou a igreja universal secularizada e apóstata tem influenciado a muitas nações e igrejas “forçando os homens a aceitar um sábado espúrio.” (Testemonies, Vol. 8, pág. 94.)
Esta é uma mensagem que identifica o poder que o inimigo tem usado para contaminar o mundo com sua falsa doutrina.
Fuja de qualquer influência de Babilônia e de sua bebida.

“A primeira e a segunda mensagens (Apocalipse 14:6 a 8) foram dadas em 1843 e 1844, estamos agora sob a proclamação da terceira; MAS TODAS AS TRÊS MENSAGENS DEVEM AINDA SER PROCLAMADAS.” - Cristo Triunfante, pág. 338.

Devemos continuamente, dia a dia, escolher adorar ao Deus verdadeiro e devemos prestar a adoração da maneira que ele pede e fugir da influência de Babilônia.


3o Anjo

“Seguiu-se a estes outro anjo, o terceiro, dizendo, em grande voz: Se alguém adora a besta e a sua imagem e recebe a sua marca na fronte ou sobre a mão, também esse beberá do vinho da cólera de Deus, preparado, sem mistura, do cálice da sua ira, e será atormentado com fogo e enxofre, diante dos santos anjos e na presença do Cordeiro.
A fumaça do seu tormento sobe pelos séculos dos séculos, e não têm descanso algum, nem de dia nem de noite, os adoradores da besta e da sua imagem e quem quer que receba a marca do seu nome.” Apocalipse 14:9 a 11

“Vários me escreveram, indagando se a mensagem da justificação pela fé é a mensagem do terceiro anjo, e tenho respondido: “É a mensagem do terceiro anjo, em verdade.” - Mensagens Escolhidas, vol. 1, pág. 372 - Eventos Finais, pág. 172.

“ESTA É A MENSAGEM QUE DEUS MANDA PROCLAMAR AO MUNDO. É a terceira mensagem angélica que deve ser proclamada com alto clamor e regada com o derramamento de Seu Espírito Santo em grande medida.” - Testemunhos Para Ministros e Obreiros Evangélicos, pág. 91 e 92 – Eventos Finais, pág. 173.



“Quando a terceira mensagem se avolumar num alto clamor, e quando grande poder e glória acompanharem a obra final, o fiel povo de Deus participará dessa glória. É a chuva serôdia que os reanima e fortalece para passarem pelo tempo de angústia.” - The Seventh-day Adventist Bible Commentary, vol. 7, pág. 984 – Eventos Finais, pág. 173.

Percebem que esta é uma mensagem que nos desperta e alerta aos que ainda estão em Babilônia?

“A mensagem do terceiro anjo deve preparar um povo para estar em pé nestes dias de perigo. Ela deve ser proclamada com grande voz e deve realizar uma obra que poucos imaginam.” - Testemonies, vol. 8, pág. 94 – Princípios de Vida, pág. 306.

“A mais terrível ameaça que já foi dirigida aos mortais, acha-se contida na mensagem do terceiro anjo.” - O Conflito dos Séculos, pág. 486 – Princípios de Vida, pág. 306.

Existem 3 advertências nessa mensagem:

“Se alguém adora a besta...”

A besta é identificado nas profecias pelo papado. Nós já vimos nas profecias de Daniel 7 as marcas identificadoras deste poder religioso.

“Diz Daniel a respeito da ponta pequena, o papado “Cuidará em mudar os tempos e a lei.”Daniel 7:25. E Paulo intitulou o mesmo poder “o homem do pecado”, que deveria exaltar-se acima de Deus. Uma profecia é o complemento da outra. Unicamente mudando a lei de Deus poderia o papado exaltar-se acima de Deus; quem quer que conscientemente guarde a lei assim modificada, estará a prestar suprema honra ao poder pelo qual se efetuou a mudança. Tal ato de obediência às leis papais seria um sinal de vassalagem ao papa em lugar de Deus.” - O Grande Conflito, pág. 446.

“Se alguém adora a besta e a sua imagem...”

A imagem da besta se formará quando os Estados Unidos fizerem e impuserem leis dominicais.

“A fim de formarem os Estados Unidos uma imagem da besta, o poder religioso deve a tal ponto dirigir o governo civil que a autoridade do Estado também seja empregada pela igreja para realizar os seus próprios fins.
A “imagem da besta” representa a forma de protestantismo apóstata que se desenvolverá quando as igrejas protestantes buscarem auxílio do poder civil para imposição de seus dogmas.” - O Grande Conflito, pág. 443 e 445 – Eventos Finais, 196.

“...e recebe a sua marca na fronte ou sobre a mão...”

“João foi convidado a contemplar um povo distinto do que adoram a besta ou a sua imagem OBSERVANDO O PRIMEIRO DIA DA SEMANA. A OBSERVÂNCIA DESSE DIA É O SINAL DA BESTA.” - Testemunhos Para Ministros e Obreiros Evangélicos, pág. 133 - Eventos Finais, 192.

“A todos, os pequenos e grandes, ...faz com que lhes seja dada uma certa marca sobre a mão direita e sobre a fronte.” Apocalipse 13:16. Os homens não só deverão trabalhar com as mãos no domingo, mas reconhecer com a mente que o domingo é o sábado.” - Special Testimony to Battle Creek Churck, 6 e 7 – Eventos Finais, 192.

“Ninguém recebeu até agora o sinal da besta.” - Evangelismo, pág. 234 – Eventos Finais, 192.

Esta mensagem deve ser pregada com urgência, pois é a última mensagem. E não devemos ter medo de proclamá-la. Pois a ordem é que seja proclamada em alta voz.

“O poder que agitou o povo tão vigorosamente no movimento de 1844 será revelado outra vez. A mensagem do terceiro anjo não será divulgada em sussurros, mas com forte voz.” - 5T, 252 - Eventos Finais, pág. 174.

“ESTA É A ÚLTIMA MENSAGEM. Nenhuma outra lhe seguirá; não há mais convite de advertência a ser dada depois que esta mensagem tiver feito sua obra. Que responsabilidade!” - Testimonies, vol. 5, pág. 206 – Princípios de Vida, pág. 307.

“Deus concedeu aos homens o sábado como sinal entre Ele e eles, como uma prova de fidelidade deles.” - Eventos Finais, 192.

O sábado será o sinal de fidelidade do povo remanescente para com Deus. E é por isso que temos que anunciar em alta voz e com grande poder essa mensagem.

“Foi-me mostrado que A TERCEIRA MENSAGEM ANGÉLICA, que proclama os mandamentos de Deus e a fé de Jesus, REPRESENTA O POVO QUE RECEBE ESTA MENSAGEM E LEVANTA A VOZ DE ADVERTÊNCIA AO MUNDO, PARA QUE GUARDE OS MANDAMENTOS DE DEUS COMO A MENINA DOS SEUS OLHOS, e que em resposta a esta advertência muitos abraçariam o sábado do Senhor.” - Testimonies, vol.1, pág. 77 – Palavras de Vida, pág. 308.

“Se já houve um tempo na história em que os adventistas do sétimo dia devem levantar-se e resplandecer, é agora. NENHUMA VOZ DEVE SER IMPEDIDA DE PROCLAMAR A TERCEIRA MENSAGEM ANGÉLICA. Que ninguém por medo de perder o prestígio junto ao mundo, obscureça um raio de luz vindo da Fonte de toda luz.” - Cristo Triunfante, pág. 358.

“Por milhares de vozes em toda a extensão da Terra, será dada a advertência. ... Assim os habitantes da Terra serão levados a decidir-se.” - O Conflito dos Séculos, pág. 662 – Princípios de Vida, pág. 308.

Será que já estamos vivendo nestes dias finais, quando finalmente os EUA estará formando uma imagem à besta? Vamos continuar estudando esse assunto.